9 de fev de 2012

sociabilidade

O ator social
No silêncio da noite
Ouve a lágrima caindo
E no chão limpo do lugar
Amor, companheirismo e cinismo.
D’agua que cai do olhar
E da ternura sentida
Dos gestos e afetos
Dessa gente querida.
A dor não dói mais
O olhar parou
O vento silenciou
E o tempo... o tempo?
Pois bem, o tempo aqui acabou!

2 comentários:

Vulcka disse...

=,(

A melancolia tranforma-se em beleza
No momento em que no papel toca.

Nizar disse...

Gostei ...vou até compartilhar no meu face .

Postar um comentário