20 de jun de 2009

Faço das palavras dela as minhas!
A morte do Pe. Gisley nos pegou de surpresa... Sabemos da importância que um referencial como ele tem na construção de um projeto com e para a juventude de nosso país e de nossa igreja. Ao passo que as PJs de todo o país entram em um momento de reflexão sobre a violência contra a juventude, sua morte pela mão de jovens serve com um alerta. Será comum ouvir daqueles que tem um descrédito na juventude a idéia de que os jovens são realmente os atores da violência, e não vitímas dela, e talvez alguns mais ardilosos usem o fato de o Pe. Gisley trabalhar justamente a questão da violência contra o jovem, e morrer por um ato violento praticado por estes a quem tanto ama, como forma de provar destas teorias torpes e bêbadas.Porém, a verdade é que este fato demonstra o quanto nosso jovem está desprotegido e a mercê da violência, reproduzindo assim, contra alguém que luta em favor deles, tudo aquilo que sofe em seu dia a dia por aqueles que não respeitam o Divino de cada pessoa. É bem provável que aqueles que mataram o Pe. Gisley nem sequer saibam quem ele era e muito menos a maneira como vinha desenvolvendo seu trabalho pró juventude. Embora toda a revolta que possa estar queimando no coração dos jovens das PJs, é importante não esquecermos do que nos move, que é o amor pela a juventude. Acusar estes jovens de vagabundos ou coisas piores é trair o discurso que defendemos, e ao mesmo tempo trair a memória do Pe.Gisley. Devemos sim pedir por justiça, no seu sentido pleno.Precisamos, mais do que nunca, lutar por justiça, paz e segurança!
Edivane
Diocese de Passo Fundo!

0 comentários:

Postar um comentário